InícioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 [COPAdeTI] Solucionando Problemas

Ir em baixo 
AutorMensagem
Gimena
Professor
Professor
avatar

Mensagens : 63
Data de inscrição : 29/12/2013
Idade : 31
Localização : Mantena-MG

MensagemAssunto: [COPAdeTI] Solucionando Problemas   Qui Maio 15, 2014 10:53 pm

Problemas há em todos os lugares, com a copa então, a coisa ficou bastante feia! Cidades para organizar, estádios para reformar, sistemas de transportes para fazer milagres e aeroportos para agilizar. Haja solucionadores de problemas!

A proposta do trabalho é:

1) Aponte um problema que deve ser sanado nas cidades sedes dos jogos.

2) Apresente a solução dada para este problema e quais tecnologias os envolveram.

3) Se possível, apresente os recursos tecnológicos utilizados ou o problema propriamente dito.

Tem problema que não acaba mais! Tem no setor de segurança, de transporte, de recepção dos espectadores (de fora e de dentro do país), acesso aos estádios, tumulto nos aeroportos, idiomas dos visitantes, modernização das cidades sedes, modernização dos estádios e etc.


Eita! Suspect 

OBS.: Caso for anexar o trabalho, favor renomear o arquivo para: SEUNOME_SP

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://nucleodetizps.forumeiros.com
caio emanoel
Junior
Junior
avatar

Mensagens : 5
Data de inscrição : 18/03/2014

MensagemAssunto: Caio E_SP   Seg Maio 19, 2014 7:30 pm

A Copa de 2014 tem mais problemas que soluções


Trazer a Copa do Mundo para o Brasil e os Jogos Olímpicos de 2016 foi uma decisão acertada. O que se critica é a falta de planejamento nas obras necessárias, principalmente quanto a valores, locais e à mobilidade urbana. Com a nossa folclórica burocracia, era certo que os atrasos ocorreriam. Foram discursos verborrágicos e demagógicos que redundaram na obviedade latina: atrasos. Agora, tivemos um desastre, com lamentáveis duas mortes de operários no estádio do jogo inaugural da Copa. É mais um percalço na longa lista do que vem acontecendo. O acidente – uma fatalidade - com um guindaste na Arena Corinthians em São Paulo é o problema mais recente - e talvez o mais grave para a imagem do País, na opinião de especialistas - no processo de organização da Copa do Mundo de 2014.

A lista de imprevistos, que inclui mortes, atrasos, manifestações e crimes, não impedirá a realização nem deverá causar maiores alterações da agenda do torneio do ano que vem. Porém, segundo analistas, pode até afastar torcedores estrangeiros. A imagem do Brasil como anfitrião do evento foi bastante prejudicada no exterior nas últimas duas semanas. Houve o acidente em Itaquera e dois arrastões contra banhistas nas praias do Rio de Janeiro. A cada semana, o Brasil produz uma notícia ruim e volta a ser visto como um país com falta de segurança.

A esperança é que, se não ocorrerem outros grandes tropeços até a data do torneio, especialmente no Rio de Janeiro, a cidade brasileira mais conhecida no exterior, os episódios negativos de agora devem ser esquecidos. Outra notícia também contribuiu para prejudicar a imagem do País: o anúncio de que 14 projetos de mobilidade, orçados em R$ 1,2 bilhão, foram retirados da matriz de responsabilidade da Copa. Foram descartados projetos para melhorias em portos, aeroportos e rodovias que perdurariam, beneficiando a população mesmo após o fim do torneio. Mesmo com tanto tempo para planejar, aconteceu algo desabonatório.

Notícias como essa aumentam o descontentamento de setores da sociedade, que - com alguma razão - criticam gastos que o País terá com a Copa do Mundo. Partidários dessa opinião têm manifestado esse descontentamento por meio de diversos protestos. Mas a Copa do Mundo ocorrerá de qualquer maneira, uma vez que passou o momento de pular fora. Ela pode ser bem-sucedida, e torcemos para que seja uma grande festa. Coroando tudo, que o Brasil seja campeão, é claro.

Além do acidente na Arena Corinthians, outras duas mortes foram registradas em obras de estádios que serão usados em jogos da Copa do Mundo de 2014. Em junho de 2012, o carpinteiro José Afonso de Oliveira Rodrigues, 21 anos, morreu ao cair de uma laje do Estádio Nacional de Brasília. Em março de 2013, o pedreiro Raimundo Nonato Lima Costa, 49 anos, morreu na construção do estádio de Manaus. Também foram registrados uma explosão na Arena da Baixada, em Curitiba no ano de 2012, e um princípio de incêndio na Arena Pantanal, em Cuiabá, em 2013. Simultaneamente, morreu Nilton Santos, considerado o maior lateral-direito da história do futebol. Mas, quando vivemos sem sonhar, não temos a consciência de que existimos. Então, vamos sonhar com o sucesso da Copa do Mundo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Gedeon da silva machado
Junior
Junior


Mensagens : 3
Data de inscrição : 18/03/2014
Idade : 19
Localização : AV.frei gaspa n:1023

MensagemAssunto: Re: [COPAdeTI] Solucionando Problemas   Qua Maio 21, 2014 5:37 pm


TI

NOME:Gedeon da Silva Machado
SALA:12
2 ano


Brasília - Uma das cidades-sede da Copa do Mundo de 2014, Brasília enfrenta problemas estruturais no trânsito. Segundo o pesquisador de Transportes da Universidade de Brasília Artur Morais, o aeroporto da cidade está saturado e obras, como a do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), podem não estar concluídas até lá.

“O transporte público em Brasília é malfeito, mal planejado e mal operado”, disse. “Quando você analisa os dados, percebe que a maioria das pessoas vai usar o VLT para fazer integração com outros transportes. É mais fácil fazer um corredor de ônibus direto entre as cidades [do Distrito Federal] e o plano piloto”, acrescentou.

Os quatro mil ônibus do DF transportam diariamente 1,2 milhão de passageiros. Ao todo, são cem linhas que ligam Brasília às demais cidades. O secretário de Transportes, José Walter Vazquez Filho, concorda que há problemas. E diz que é preciso haver mais investimento e presença do Estado no setor.

“Há falta de planejamento, de previsão, da presença do Estado”, disse acrescentando que a meta, agora, é fazer a racionalização das linhas. “Em agosto, vamos abrir licitação para contratar um sistema de GPS para controlar a frota”, comentou.

No Plano Diretor de Transporte Urbano do Distrito Federal e Entorno (PDTU), aprovado em abril pela Câmara Legislativa do DF, há a previsão de investimento de R$ 7,8 bilhões nos próximos dez anos para melhorias no transporte público. Uma das obras previstas é o VLT, estruturado, inicialmente, para ser um meio de transporte expresso do Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek à W3 Sul e Norte, uma das principais avenidas da cidade.

O VLT teve as obras iniciadas, mas foram interrompidas por determinação da Justiça. A licitação começou a ser feita em 2007 e o cronograma previa a entrega de parte da obra este ano. Entretanto, em janeiro, a obra foi suspensa a pedido do Ministério Público. Além disso, há cerca de dois meses, a Justiça determinou o cancelamento da licitação feita com o consórcio Brastram e o reinício do processo por causa de irregularidades na licitação do projeto básico.

O governador Agnelo Queiroz anunciou a retomada da licitação ainda este ano. Enquanto isso, motoristas e pedestres terão de conviver com o canteiro de obras montado no final da W3 Sul e o desvio do trânsito no local.

O secretário de transportes, no entanto, admite que o VLT não estará completamente pronto até a Copa de 2014. “Entendemos que o VLT é uma saída porque pode ser usado, inclusive, em área tombada. Mas a conclusão das obras até a Copa está descartada. Pretendemos entregar até lá somente o trecho do Aeroporto ao terminal sul para fazer a integração com o metrô”, disse.

Outra obra que está pendente no Distrito Federal é a do Veículo Leve sobre Pneus (VLP), que vai ter dois trechos: o primeiro, ligando as cidades do Gama e de Santa Maria à Rodoviária do Plano Piloto e o segundo, ligando a Estrada Parque Indústria e Abastecimento (Epia) ao terminal de metrô da Asa Sul. A obra está orçada inicialmente em R$ 587 milhões e está parada.

No início de agosto, o Tribunal de Contas do Distrito Federal deverá julgar processo que trata de pendências técnicas para liberar a obra. O prazo para entrega é 18 meses a partir do início das obras. O responsável é o consórcio BRT Sul.

Já mais adiantado, o Projeto Linha Verde pretende ligar Ceilândia e Taguatinga à Rodoviária do Plano Piloto e tem, até agora, apenas a parte que corta a Estrada Parque Taguatinga (EPTG) relativamente pronta, com a duplicação da pista concluída. Mas, falta sinalização, implantação da ciclovia prevista no projeto e a licitação de 300 ônibus articulados que vão fazer o transporte público no corredor exclusivo. Esse trecho da obra foi orçado em R$ 306 milhões.
Voltar ao Topo Ir em baixo
suellen gomes
Junior
Junior


Mensagens : 3
Data de inscrição : 21/05/2014

MensagemAssunto: Re: [COPAdeTI] Solucionando Problemas   Qua Maio 21, 2014 6:32 pm

trabalho de TI
Anexos
SuellenG_SP.doc
Você não tem permissão para fazer download dos arquivos anexados.
(16 Kb) Baixado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
geysiane
Junior
Junior


Mensagens : 6
Data de inscrição : 24/03/2014
Idade : 19

MensagemAssunto: solucionando problemas   Qui Maio 22, 2014 5:27 pm

Aluna: Geysiane gomes
Turma:2° ano 12

1-A um mês do início da Copa do Mundo, uma coisa é certa: ainda tem muita obra para terminar pelas 12 cidades-sedes. Há construções inacabadas em todos os setores de infraestrutura. Nas áreas de mobilidade urbana e aeroportos, muitas intervenções ainda estão em andamento e algumas não vão ficar prontas a tempo do Mundial. Nos portos, metade dos projetos tem entrega prevista apenas para o fim de maio.

2-Essa solução, segundo Valcke e Rebelo, deve passar diretamente pela Odebrecht. A construtora responsável pela construção do estádio do Corinthians deve ser também quem vai instalar os geradores, tendas e outros equipamentos solicitados pela Fifa no entorno do Itaquerão. Valcke ratificou que a responsável por providenciar tudo o necessário é o Corinthians, segundo o acordo de cidades-sede.

3-recurso tecnológico utilizado foi por máquinas de arquitetura CISC.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Matheus de Almeida
Junior
Junior


Mensagens : 3
Data de inscrição : 23/05/2014
Idade : 20

MensagemAssunto: Matheus Almeida Solução de Problemas   Sex Maio 23, 2014 6:03 pm

Matheus de Almeida Solução de Problemas
Anexos
Matheus de Almeida sala 12 Solução de Problemas.doc
Você não tem permissão para fazer download dos arquivos anexados.
(11 Kb) Baixado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Juliano Oliveira
Junior
Junior
avatar

Mensagens : 9
Data de inscrição : 12/03/2014
Localização : Mantena- MG

MensagemAssunto: Juliano Oliveira Fernandes_Solução de Problemas 2ºano 12   Dom Maio 25, 2014 5:48 pm

São Paulo -
 
Na maior metrópole do Hemisfério Sul, o trânsito está congestionado nas principais vias urbanas. Motociclistas apressados se espremem entre os carros parados e buzinam pedindo passagem. No terraço do Edifício Itália, um dos prédios mais altos de São Paulo, a vista é privilegiada. De lá é possível assistir a executivos deixarem seus escritórios a bordo de helicópteros, que, em poucos minutos, lotam o espaço aéreo paulistano. Do alto, também é possível observar a camada espessa de poluição que cobre a maior parte da metrópole. Cenas que se repetem quase todos os dias. Palco dos principais eventos culturais que acontecem no Brasil, São Paulo também será uma das cidades-sede da Copa 2014. Até lá, porém, terá de vencer desafios. Um deles é a mobilidade urbana.
   
  Durante o mês de realização do maior campeonato de futebol do planeta, São Paulo deve receber pelo menos 500 mil visitantes a mais. Como superar esses problemas, a maioria deles crônicos, dentro dos próximos cinco anos? Missão quase impossível. Verdade. Várias ações estão sendo adotadas a fim de equacionar, por exemplo, a questão da mobilidade urbana. Nenhuma foi iniciada em razão da Copa do Mundo, porém, devem trazer inúmeros avanços que serão percebidos na época da realização do evento. Até 2014, a cidade vai receber mais de 33 bilhões de reais que serão investidos em obras estruturais como a expansão das linhas da metrô, ampliação e modernização da frota de trens, construção de novas avenidas e terminais rodoviários, além da conclusão do Rodoanel.
 
  Um dos meios de locomoção mais rápidos e eficientes é o metrô. Em razão disso, o governo de São Paulo criou um plano de expansão que vai investir 20 milhões de reais na compra de novos trens, reforma de composições antigas, troca do sistema de sinalização e ampliação de linhas. De acordo com o secretário estadual de Trans­portes Metropolitanos de São Paulo, José Luiz Portella, a primeira fase do plano, prevista para ser concluída até o final de 2010, deixará a região metropolitana com 240 km de trilhos com qualidade de metrô.
 
  Uma das melhorias é a conclusão da Linha 4-Amarela, que  ficará a 1.180 metros do Morumbi, estádio onde serão realizados os jogos. Outro avanço será o término da Linha 14-Ônix, o Expresso Aeroporto, que ligará o centro de São Paulo ao Aeroporto Internacional de Gua­ru­lhos em 20 minutos. O início da operação está previsto para o final de 2012.  A Parceria Públi­co Privada (PPP) prevê que o vencedor da con­cor­rência investirá 1,4 bilhão de reais.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Thiago DH
Junior
Junior


Mensagens : 4
Data de inscrição : 31/03/2014

MensagemAssunto: Thiago   Ter Maio 27, 2014 6:05 pm

Um grande problema que pode ser apresentado é a orientação, onde fica? Onde estou? Posso, não posso? Por quê?...

“Governo lança Guia do Consumidor Turista para a Copa do Mundo”
O governo federal lançou nesta terça-feira (27) o Guia para o Consumidor Turista na Copa do Mundo, que traz informações sobre os direitos dos consumidores durante a Copa do Mundo 2014 e como fazer para reclamar em casos de violação.
O guia estará disponível em três idiomas (português, inglês e espanhol) pela internet e, também, nos 12 aeroportos das cidades-sede da Copa do Mundo, além dos pontos de atendimento dos Procons e na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), entre outros.
"Queremos ampliar a informação de onde reclamar, principalmente para o estrangeiro. Cada país tem uma peculiaridade (...) O turista fica pouco tempo na cidade. É muito importante para ele o atendimento rápido. Se ele tiver um conflito, ele precisa da solução. A Copa exige rito sumário, rito efetivo que crie soluções", disse a secretária Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça, Juliana Pereira. Para ajudar na solução desses problemas, também funcionará durante a Copa o Centro Integrado de Proteção ao Consumidor.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Lucas Alves
Junior
Junior
avatar

Mensagens : 8
Data de inscrição : 17/03/2014
Idade : 20
Localização : Mantena

MensagemAssunto: Re: [COPAdeTI] Solucionando Problemas   Qui Maio 29, 2014 6:40 pm

Turistas estrangeiros poderão enfrentar problemas para acessar a rede 4G brasileira durante a Copa do Mundo, pois a faixa de 700 MHz, usada em diversos países para o serviço, ainda não estará disponível.

O leilão da frequência deve ocorrer em janeiro do ano que vem e, de acordo com o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações, João Rezende, só deve começar a funcionar a partir de 2015. — Em 2014 ainda não teremos 700 MHz, vai ter que trabalhar no 2,5 GHz — disse Rezende, em entrevista à agência Reuters. O governo leiloou frequências de 2,5 GHz para uso pela telefonia 4G no ano passado, mas a infraestrutura construída nesse padrão, que deverá estar disponível nas cidades sede da Copa do Mundo, será incompatível com aparelhos que operam em 700 MHz. A frequência é considerada pela indústria como a mais apropriada para a operação do serviço, pois precisa de menos antenas para a cobertura. Hoje, a faixa é utilizada no Brasil pela TV aberta analógica e o governo está propondo transformar o sinal das emissoras em digital, liberando o espectro. De acordo com a 4G Américas, existem no mundo 41 países que liberaram o uso do 4G na mesma faixa adotada pelo Brasil, incluindo países europeus, como França e Espanha, além de Rússia e China. Porém, os EUA, que possuem a maior rede do mundo, operam em 700 MHz. Para o presidente da Anatel, a incompatibilidade não deve comprometer o uso de celulares pelos turistas que vierem ao torneio.
"anda não se tem uma solução para o problema vamos torcer pra que tenha" Lucas Alves
Voltar ao Topo Ir em baixo
stallonek
Junior
Junior
avatar

Mensagens : 6
Data de inscrição : 12/03/2014

MensagemAssunto: ta ae o trabalho stallone kollibri   Ter Jun 03, 2014 4:59 pm

DESTRITO FEDERAL - Uma das cidades-sede da Copa do Mundo de 2014, Brasília enfrenta problemas estruturais no trânsito. Segundo o pesquisador de Transportes da Universidade de Brasília Artur Morais, o aeroporto da cidade está saturado e obras, como a do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), podem não estar concluídas até lá.

“O transporte público em Brasília é malfeito, mal planejado e mal operado”, disse. “Quando você analisa os dados, percebe que a maioria das pessoas vai usar o VLT para fazer integração com outros transportes. É mais fácil fazer um corredor de ônibus direto entre as cidades [do Distrito Federal] e o plano piloto”, acrescentou.

Os quatro mil ônibus do DF transportam diariamente 1,2 milhão de passageiros. Ao todo, são cem linhas que ligam Brasília às demais cidades. O secretário de Transportes, José Walter Vazquez Filho, concorda que há problemas. E diz que é preciso haver mais investimento e presença do Estado no setor.

“Há falta de planejamento, de previsão, da presença do Estado”, disse acrescentando que a meta, agora, é fazer a racionalização das linhas. “Em agosto, vamos abrir licitação para contratar um sistema de GPS para controlar a frota”, comentou.

No Plano Diretor de Transporte Urbano do Distrito Federal e Entorno (PDTU), aprovado em abril pela Câmara Legislativa do DF, há a previsão de investimento de R$ 7,8 bilhões nos próximos dez anos para melhorias no transporte público. Uma das obras previstas é o VLT, estruturado, inicialmente, para ser um meio de transporte expresso do Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek à W3 Sul e Norte, uma das principais avenidas da cidade.

O VLT teve as obras iniciadas, mas foram interrompidas por determinação da Justiça. A licitação começou a ser feita em 2007 e o cronograma previa a entrega de parte da obra este ano. Entretanto, em janeiro, a obra foi suspensa a pedido do Ministério Público. Além disso, há cerca de dois meses, a Justiça determinou o cancelamento da licitação feita com o consórcio Brastram e o reinício do processo por causa de irregularidades na licitação do projeto básico.

O governador Agnelo Queiroz anunciou a retomada da licitação ainda este ano. Enquanto isso, motoristas e pedestres terão de conviver com o canteiro de obras montado no final da W3 Sul e o desvio do trânsito no local.

O secretário de transportes, no entanto, admite que o VLT não estará completamente pronto até a Copa de 2014. “Entendemos que o VLT é uma saída porque pode ser usado, inclusive, em área tombada. Mas a conclusão das obras até a Copa está descartada. Pretendemos entregar até lá somente o trecho do Aeroporto ao terminal sul para fazer a integração com o metrô”, disse.

Outra obra que está pendente no Distrito Federal é a do Veículo Leve sobre Pneus (VLP), que vai ter dois trechos: o primeiro, ligando as cidades do Gama e de Santa Maria à Rodoviária do Plano Piloto e o segundo, ligando a Estrada Parque Indústria e Abastecimento (Epia) ao terminal de metrô da Asa Sul. A obra está orçada inicialmente em R$ 587 milhões e está parada.

No início de agosto, o Tribunal de Contas do Distrito Federal deverá julgar processo que trata de pendências técnicas para liberar a obra. O prazo para entrega é 18 meses a partir do início das obras. O responsável é o consórcio BRT Sul.

Já mais adiantado, o Projeto Linha Verde pretende ligar Ceilândia e Taguatinga à Rodoviária do Plano Piloto e tem, até agora, apenas a parte que corta a Estrada Parque Taguatinga (EPTG) relativamente pronta, com a duplicação da pista concluída. Mas, falta sinalização, implantação da ciclovia prevista no projeto e a licitação de 300 ônibus articulados que vão fazer o transporte público no corredor exclusivo. Esse trecho da obra foi orçado em R$ 306 milhões.
Voltar ao Topo Ir em baixo
AmandaPaz
Junior
Junior
avatar

Mensagens : 7
Data de inscrição : 13/03/2014
Idade : 20
Localização : Mantena-MG

MensagemAssunto: Amanda Paz   Qua Jun 04, 2014 6:37 pm

Junto com a expectativa da Copa do Mundo no Brasil chega também uma série de indagações, não só quanto à infraestrutura do país, mas também como um evento deste porte irá influenciar no mercado das operadoras turísticas no país.



É fato que o turismo receptivo terá grande demanda durante o período da Copa do Mundo, o governo federal espera que o país receba 600 mil turistas estrangeiros visitando o Brasil durante a Copa do Mundo, e calcula mais de 1,1 milhões de brasileiros viajando pelos países no período.

Com a proximidade do evento o setor hoteleiro, aéreo e receptivo aumenta em grande escala o valor de seus produtos mesmo com o governo criando vários projetos para tentar impedir o aumento abusivo dos preços, o que consequentemente afeta o valor dos pacotes oferecidos pelas operadoras, que inviabiliza um crescente numero de viagens nacionais deste período. Desta forma, as operadoras esperam ter uma procura maior por pacotes internacionais durante o período do evento.

Com o aumento da procura de pacotes, e aquecimento do mercado através da chegada da Copa do Mundo, as Operadoras estão em buscam de soluções tecnológicas capazes de otimizar e aperfeiçoar o atendimento por parte de seus operadores.

O grande desafio no ramo de Operadora nos últimos anos foi disponibilizar as agências de viagens um sistema com seus produtos, para que pudessem conhecer e comercializar o mesmo. Esses sistemas serviam de vitrine, que após a escolha gerava uma solicitação. Abaixo iremos citar cada processo e o que um foi feito para automatizar o processo de compra:

Cotação: o Processo de cotação foi automatizado liberando para as agências de viagens compradoras a opção de orçar online e enviar ao consumidor.
Anteriormente, somente a operadora tinha acesso aos sistemas dos fornecedores, centralizando assim os orçamentos com os atendentes da mesma.
Reserva: Após a liberação do orçamento, o segundo passo foi à liberação de reservas Online. Desta forma, além da cotação, as tarifas e lugares estariam garantidos ao passageiro. Porém para esta melhoria, foi preciso que os sistemas tratassem o controle de prazos nos fornecedores, principalmente das suítes Terrestres. Como a reserva nessas suítes já valida a compra, caso a agência não efetuasse o pagamento, o cancelamento de pacote poderia gerar ônus a Operadora. Hoje é possível efetuar esse gerenciamento através de um prazo interno ou do fornecedor, onde um robô consulta as reservas pendentes de pagamento e de acordo com o prazo, a reserva é cancelada automaticamente.
Pagamento: Para liberar o pagamento Online do Pacote, são disponibilizadas as Operadoras integrações com Gateway de Pagamentos. Desta forma, o recebimento é feito via cartão de crédito e o repasse ao fornecedor é feito pelo sistema como faturado. O sistema gera um prazo de pagamento interno com base nos prazos das reservas dos fornecedores. Caso o pacote não seja pago até este prazo, o mesmo é cancelado juntamente com as reservas. É possível prorrogar os prazos.
Emissão: Após a confirmação do pagamento, o sistema efetua a emissão da reserva Aérea e envio do Voucher do Pacote para o agente.
Todo o processo acima foi feito de forma gradual e visando sempre a independência das Agências de viagens na venda de pacotes.

Hoje uma agência pode vender um pacote durante o final de semana sem necessitar da interferência e aprovação da Operadora, o que torna o atendimento mais ágil ao cliente. E para operadora essas mudanças representam maior produtividade para sua equipe de operadores, mantendo o controle e organização de todas solicitações realizadas.
Voltar ao Topo Ir em baixo
suellen gomes
Junior
Junior


Mensagens : 3
Data de inscrição : 21/05/2014

MensagemAssunto: Suellen gomes    Qui Jun 05, 2014 6:26 pm

Trazer a Copa do Mundo para o Brasil e os Jogos Olímpicos de 2016 foi uma decisão acertada. O que se critica é a falta de planejamento nas obras necessárias, principalmente quanto a valores, locais e à mobilidade urbana. Com a nossa folclórica burocracia, era certo que os atrasos ocorreriam. Foram discursos verborrágicos e demagógicos que redundaram na obviedade latina: atrasos. Agora, tivemos um desastre, com lamentáveis duas mortes de operários no estádio do jogo inaugural da Copa. É mais um percalço na longa lista do que vem acontecendo. O acidente – uma fatalidade - com um guindaste na Arena Corinthians em São Paulo é o problema mais recente - e talvez o mais grave para a imagem do País, na opinião de especialistas - no processo de organização da Copa do Mundo de 2014.

A lista de imprevistos, que inclui mortes, atrasos, manifestações e crimes, não impedirá a realização nem deverá causar maiores alterações da agenda do torneio do ano que vem. Porém, segundo analistas, pode até afastar torcedores estrangeiros. A imagem do Brasil como anfitrião do evento foi bastante prejudicada no exterior nas últimas duas semanas. Houve o acidente em Itaquera e dois arrastões contra banhistas nas praias do Rio de Janeiro. A cada semana, o Brasil produz uma notícia ruim e volta a ser visto como um país com falta de segurança.

A esperança é que, se não ocorrerem outros grandes tropeços até a data do torneio, especialmente no Rio de Janeiro, a cidade brasileira mais conhecida no exterior, os episódios negativos de agora devem ser esquecidos. Outra notícia também contribuiu para prejudicar a imagem do País: o anúncio de que 14 projetos de mobilidade, orçados em R$ 1,2 bilhão, foram retirados da matriz de responsabilidade da Copa. Foram descartados projetos para melhorias em portos, aeroportos e rodovias que perdurariam, beneficiando a população mesmo após o fim do torneio. Mesmo com tanto tempo para planejar, aconteceu algo desabonatório.

Notícias como essa aumentam o descontentamento de setores da sociedade, que - com alguma razão - criticam gastos que o País terá com a Copa do Mundo. Partidários dessa opinião têm manifestado esse descontentamento por meio de diversos protestos. Mas a Copa do Mundo ocorrerá de qualquer maneira, uma vez que passou o momento de pular fora. Ela pode ser bem-sucedida, e torcemos para que seja uma grande festa. Coroando tudo, que o Brasil seja campeão, é claro.

Além do acidente na Arena Corinthians, outras duas mortes foram registradas em obras de estádios que serão usados em jogos da Copa do Mundo de 2014. Em junho de 2012, o carpinteiro José Afonso de Oliveira Rodrigues, 21 anos, morreu ao cair de uma laje do Estádio Nacional de Brasília. Em março de 2013, o pedreiro Raimundo Nonato Lima Costa, 49 anos, morreu na construção do estádio de Manaus. Também foram registrados uma explosão na Arena da Baixada, em Curitiba no ano de 2012, e um princípio de incêndio na Arena Pantanal, em Cuiabá, em 2013. Simultaneamente, morreu Nilton Santos, considerado o maior lateral-direito da história do futebol. Mas, quando vivemos sem sonhar, não temos a consciência de que existimos. Então, vamos sonhar com o sucesso da Copa do Mundo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Gimena
Professor
Professor
avatar

Mensagens : 63
Data de inscrição : 29/12/2013
Idade : 31
Localização : Mantena-MG

MensagemAssunto: Re: [COPAdeTI] Solucionando Problemas   Ter Jun 10, 2014 8:44 pm

Recebidos e avaliados  Wink 

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://nucleodetizps.forumeiros.com
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: [COPAdeTI] Solucionando Problemas   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
[COPAdeTI] Solucionando Problemas
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Falta de Brilho
» Problemas com a transição- raiz crespa e comprimento com quimica
» Problemas com o No Poo!
» Feelunique- alguém já teve problemas?
» Problemas com a transição- raiz crespa e comprimento com quimica

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Núcleo de TI - ZPS :: 2º Ano :: 2º 12 (manhã)-
Ir para: